CHARGE: Paulo Alexandre e outros políticos brincam com dinheiro

Antes das eleições Santos era uma maravilha. Agora o prefeito só fala em crise. Mas será que a cidade passa realmente por maus bocados financeiros? Os números dizem que NÃO!

O orçamento previsto para esse ano é de R$ 2,7 BILHÕES! O maior orçamento da história do município. Quase o dobro de Praia Grande (R$ 1,38 bilhão), a segunda maior arrecadação da Baixada Santista!

Não tem o menor cabimento as comparações que o prefeito faz (e muitos funcionários repetem) com as situações catastróficas das cidades vizinhas (São Vicente, Cubatão, Guarujá…). Compare os orçamentos das 9 cidades da Baixada e veja como os valores de Santos são imensamente superiores:

Tabela com a estimativa de arrecadação de todas as cidades da Baixada Santista em 2016 e 2017

Em 2016 tinha dinheiro

A folha de pagamento anual dos servidores gira em torno de 900 milhões e o orçamento do ano passado foi de 2 bilhões e meio. Ou seja, tinha dinheiro suficiente para valorizar os servidores ou pelo menos honrar os compromissos com os trabalhadores (que, diga-se de passagem, fazem funcionar TODOS os serviços da Prefeitura).

Para onde foi drenado todo o dinheiro? Para a população que não foi (vide os constantes alagamentos na Zona Noroeste). O tutu foi desviado para empresas privadas disfarçadas de Organizações Sociais (Estivadores: R$ 66,7 milhões/ano; UPA Central: RS 19,1 milhões/ano), empreiteiras fazerem obras inúteis (trocar de lugar as pedrinhas da Pça Mauá, repavimentação da Ana Costa…), aluguéis de imóveis fechados e seus apadrinhados que mamam em cargos comissionados, nos contratos pela Lei 650 e nos chequinhos.

O prefeito NÃO PRIORIZOU o pagamento dos trabalhadores! NÃO RESERVOU dinheiro nem mesmo para honrar suas obrigações trabalhistas (aposentadorias, 13º, férias de janeiro, PDR…).
Charge: Paulo Alexandre passa as contas das OSs para outro pagar

Em 2017 também terá dinheiro

R$ 2,69 bilhões em caixa que só serão destinados para valorizar os servidores se os mesmos se mobilizarem. Ajuda, mas não resolve apenas se revoltar na internet. Nessa Campanha Salarial, os trabalhadores precisam se engajar de corpo e alma, PARTICIPAR fisicamente das assembleias e atos chamados pelo sindicato.

A Prefeitura já está armando seu golpe, junto ao sindicato-amigo-do-patrão, para mais uma vez não termos aumento real algum! E não há nenhuma saída contra o golpe que não seja o envolvimento da categoria de fato no movimento. Não adianta sabermos de antemão o que pretende e o que fará o governo se os trabalhadores não estiverem dispostos a conquistar um aumento digno e melhorias reais nessa Campanha Salarial!

A Campanha Salarial é uma responsabilidade de TODA A CATEGORIA! PARTICIPE!

Charge: Trabalhador faz cartaz da Campanha Salarial (Laerte)