Marcha no Dia Internacional da Mulher Trabalhadora

PELA VIDA DAS MULHERES TRABALHADORAS

O 8 de Março foi historicamente construído por mulheres trabalhadoras com o objetivo de organizar as mulheres para enfrentar as dificuldades impostas pelo capitalismo e pelo machismo. Não queremos flores, queremos lutar por nossos direitos!

O Brasil é um dos países que mais mata mulheres pessoas transsexuais. A cada uma hora e meia, uma mulher é assassinada por causa do machismo presente em nossa sociedade. No caso da mulher negra a violência é ainda mais brutal. Houve um aumento de 54.2%, entre 2002-2013, nos assassinatos em consequência do racismo.

Acontecem 50 mil estupros, a cada ano, e a maioria ocorre dentro de casa, praticado por um conhecido da vítima.

Segundo dados do DIEESE (2013), no Brasil somos 50% da força de trabalho. Dessas mulheres, 40% trabalham em situação precária, sendo que a imensa maioria, 70%, é composta por negras.

Nós, mulheres trabalhadoras, seremos as mais atingidas com o desmonte da Previdência Social pois será preciso ter 49 anos de contribuição e 65 anos de idade para conseguirmos a aposentadoria. Estas alterações na idade e no tempo de contribuição desconsidera o trabalho doméstico, que soma cinco horas a mais de trabalho, por semana, que continua sendo responsabilidade das mulheres. As mulheres já recebem 35% a menos que os homens para exercer a mesma função, além disso, dos seis bilhões de empregadas domésticas existentes, 30% não tem registro em carteira.

88% das mulheres têm jornada dupla ou tripla de trabalho. Somos as usuárias e as trabalhadoras dos serviços públicos precarizados, como as escolas, as creches, os postos de saúde, a segurança pública e que tiveram os investimentos já insuficientes, congelados pela PEC que limitou os gastos públicos por 20 anos e seremos ainda, profundamente atingidas, inclusive, pelas mudanças nas leis trabalhistas.

Por isso, neste 8 de março, vamos juntas às ruas para realizar um dia internacional de luta contra o machismo, a violência e a cultura do estupro e por nenhuma a menos. Vamos também dizer que somos contra a reforma da Previdência e que ocuparemos as ruas contra os retrocessos que o País atravessa.

PROGRAMAÇÃO:

16 horas – Concentração e atividades culturais, na Estação da Cidadania (esquina das Avenidas Ana Costa e Francisco Glicério)
* Intervenção Teatral da Cia Imaginário;
* Oficina de Silk;
* Varal de poesias;
* Bate papo;
* Música.

18h30 – Saída da MARCHA rumo à Praça da Independência

SERVIDORAS TEM UM MOTIVO A MAIS PARA PARTICIPAREM!

Além da luta das mulheres, as atividades do Dia Internacional da Mulher Trabalhadora foram incorporadas ao calendário de lutas da Campanha Salarial dos servidores, essa foi mais uma deliberação da assembleia dos servidores de Santos ocorrida na semana passada.

Portanto, todas as servidoras e servidores estão convidados a participarem das atividades do 8 de março que, aqui em Santos, ocorrerão na Estação da Cidadania (Av. Ana Costa, 340 – em frente ao Extra) com apresentações artísticas a partir das 16h e manifestação às 18h.

POR NENHUMA A MENOS!