Os sindicatos da Baixada Santista ligados à esquerda do movimento sindical vão lembrar o Dia do Trabalhador sem festa, sorteios de mega prêmios ou shows de péssima qualidade.
 
Está marcado para amanhã um grande ato na Praça da Sé em São Paulo, em referência à luta por melhores condições de trabalho, melhores salários, contra a exploração, o assédio e a criminalização dos movimentos sociais e sindicais, bandeiras que já não são levantadas pelas atuais centrais.
 
Participarão do ato alguns dos maiores sindicatos da região, como Metalúgicos, Petroleiros, Bancários e parte da diretoria do Sindserv.
Dois ônibus estarão à disposição dos interessados em participar, sem custos. Um ônibus sairá às 8 horas da sede do Sindicato dos Bancários (Av. Washington Luis, 140) e o outro, às 7h30, da sede do Sindicato dos Metalúrgicos (Av. Ana Costa, 55).
 
Na Praça da Sé haverá concentração de vários trabalhadores, militantes de movimentos sociais e pastorais, além de dirigentes sindicais das forças que resistem contra a retirada de direitos dos trabalhadores pelos governos e patrões.
 
Ao contrário do evento organizado por centrais que se uniram e juntas aderiram ao sindicalismo do pão e circo, o ato da Praça da Sé quer mostrar que os trabalhadores e a população estão insatisfeitos com tudo o que está acontecendo no Brasil e também no mundo.
 
O ato foi escolhido para ser realizado na Sé estrategicamente. Nesta quinta-feira fazem exatamente 40 anos do 1º de Maio de 1968, onde, no mesmo local, em plena ditadura militar, os trabalhadores expulsaram o então governador do Estado, Abreu Sodré, do palanque montado na praça.
 
Além de ser uma maneira de reivindicar as questões que afetam os brasileiros, como as reformas da Previdência, trabalhista e sindical, a manifestação também será realizada em solidariedade aos povos da Palestina, Iraque e Haiti, que, respectivamente, sofrem com as invasões de Israel, com os ataques dos Estados Unidos e com a presença das tropas brasileiras.  

Agenda:
9h – Missa dos Trabalhadores na Catedral da Sé;

10h30 – Ato Público na Praça da Sé