Foto dos servidores na porta da Seduc

Os professores, EDIs, funcionários de escola e Equipes Técnicas foram até a Seduc no dia 10/05 cobrar uma definição sobre a reorganização do Calendário Escolar devido à greve.

Na reunião, o governo apenas escutou as argumentações do sindicato e dos servidores, não se posicionando nem a favor nem contra.

Argumentou apenas sobre a obrigatoriedade as Unidades Municipais de Educação que atendem crianças até 3 anos (creches) em cumprir os 200 dias letivos, igualmente as outras UMEs que são obrigadas a cumprir pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação. O governo justificou que a Portaria 12 também determina os 200 dias letivos para essas unidades.

Porém, essa é a Portaria do começo do ano referente ao Calendário Escolar, ou seja, antes da greve começar. Uma nova Portaria pode tranquilamente mudar outra Portaria, não há desculpa, apenas falta de vontade. Ou melhor, sobra vontade para penalizar dos funcionários que fizeram a maior greve da história dos servidores de Santos.

Silêncio sobre os outros problemas (para os professores e EDIs o governo só quer pagar a Hora/Aula como se não fossem Horas Extras, que acrescentaria 50% do valor pago conforme a Constituição, e para os funcionários e Equipes Técnicas o Comunicado só diz que serão pagos 4 horas extras por sábado, mas não diz quantas horas serão trabalhadas).

O sindicato já oficializou o governo sobre todos esses problemas. Caso os mesmos não sejam resolvidos, os servidores precisarão se mobilizar e participar ativamente dos atos convocados pelo sindicato!