Reunião com o governo

Próxima reunião com o governo será no dia 06/06 (quarta-feira) às 18h

Os trabalhadores da Secretaria de Educação como um todo (incluindo a SALOP e SEDESP) estão exaustos! Todo dia precisam “dar um jeitinho” para fazer funcionar a “cidade educadora”. Jeitinho não, muitas vezes é jeitão mesmo: Uma escola com 16 salas por período SEM NENHUM professor substituto para esses, se um professor fica doente, COMO FAZ?!?

Junta salas, equipe técnica dando aula, inspetores e outros funcionários entrando em sala, trabalhos administrativos parados, qualidade da educação prejudicada, professores sem HTI, trabalhadores sobrecarregados, mais licenças médicas e a bola de neve aumenta ainda mais.

O pior é saber que esse problema crônico das escolas não é resolvido simplesmente por falta de vontade política. Pois tem professores concursados esperando serem chamados e tem vagas, mas o governo não chama em número suficiente. Para se ter uma ideia, até hoje o número previsto no Estatuto do Magistério não foi cumprido.

Também há carência de outros profissionais dentro das escolas, o que aumenta ainda mais os problemas. Todas as escolas sofrem diariamente com um número insuficiente de Cozinheira(o), Inspetor(a) de Alunos, Agente de Portaria, Oficial de Administração, Secretário(a) de Unidade Escolar, Auxiliar Bibliotecário, EDIs (que estão aposentando), profissional de Equipe Técnica – Diretor(a), Assistente de Direção, Coordenador(a) e Orientador(a).

Por isso os servidores foram ao Paço Municipal pressionar para que o governo além de promover o maior número de professores, nomeie todas as vagas que irão abrir com esse processo, e as já abertas (no caso dos outros cargos de concursos em andamento) até o dia 2 de junho (prazo final para nomear os habilitados dos últimos Concursos de 2016). Pois teve concurso para preenchimento das vagas de vários cargos que atuam na educação, mas mesmo assim o governo deixou a situação chegar ao CAOS em que se encontra.

Lembrando que no ano passado, os estudos da própria SEDUC apontavam que teria cargos vagos para promover mais de 240 professores adjuntos que supriria em parte as necessidades da rede. Depois, por pressão do próprio governo, a lista foi reduzida para 188. E no final do ano, Paulo Alexandre só promoveu 9 docentes. Não é a toa que agora enfrentamos todo esse caos nas escolas.

A próxima reunião com o governo para tratar da ampliação das vagas será no dia 06/06 (quarta-feira) às 18h30 no gabinete do Secretário de Gestão (4º andar do Paço Municipal). Todos os servidores da LISTA DE PROMOÇÃO e os demais que sofrem com a falta de gestão desse governo devem se organizar para participar.

TODOS À REUNIÃO!
06/06 (quarta-feira) às 18h
No Paço Municipal