Charge: "Em 2016...". Alguém bate na porta e diz: "Prefeito, tá na hora da gravação da propaganda eleitoral!". Paulo Alexandre responde "Pera!" enquanto esconde gráfico negativo debaixo do tapete.

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP) REPROVOU as contas da Prefeitura de Santos referente a 2016. O relatório aponta que Paulo Alexandre endividou a cidade PROPOSITALMENTE, mesmo com inúmeros avisos do órgão, muito além do que é permitido por Lei.

Paulo Alexandre recebeu da gestão anterior um caixa positivo de R$ 181,459 milhões e terminou 2016 com uma dívida de R$ 147,873 milhões.

2016, coincidentemente, era ano de eleições municipais e Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) concorria à reeleição. Ou seja, o Paulinóquio gastou até o que não tinha pra maquiar a cidade e se reeleger.

No ano seguinte não tinha dinheiro nem para reajustar os salários dos servidores com a inflação. Ofereceu ZERO% e os trabalhadores tiveram que fazer a maior greve da história da categoria para arrancar 5,35%.

TCE também REPROVOU contas do Eustázio, lembra?

Eustázio Pereira, ex-presidente da CAPEP (indicado pelo Paulo Alexandre), também teve as contas (de 2015) julgadas irregulares pelo TCE. Tomou um multa de cerca de R$ 5 mil.

Na época que o TCE julgou, Paulo Alexandre ignorou a decisão, todos os pedidos dos servidores e manteve Eustázio na presidência. Os servidores precisaram fazer uma ampla campanha de mobilização e luta para tirar o Eustázio.

Mas, antes de cair, ele gerou uma dívida de mais de R$ 11 milhões com os fornecedores. Quem vai pagar essa conta?!?

Charge: Placa escrita "Quem vai pagar a conta?" e políticos fugindo pela janela.

NENHUMA ILUSÃO

Paulo Alexandre ainda vai recorrer dessa decisão. Se a Justiça paulista (tucana até o osso) manter a sentença, a decisão vai parar nas mãos dos vereadores-capachos aprovarem ou não as contas. É rir pra não chorar: Quase todos os vereadores são da base governista DECLARADAMENTE.

Vale lembrar que o ex-prefeito Beto Mansur teve inúmeras contas REJEITADAS pelo TCE e aprovada pelos vereadores cupinchas.

Charge: Políticos entrando debaixo de uma pizza gigante.